Pesquisar Este Blog Clique Aqui Ó

Ganhar Dinheiro



quarta-feira, 27 de junho de 2012

Menina Do Interior Do Amazonas Diz:

Dia a Dia de Duas Infortunias (Descontrole)

Descontrole Parte - 1


Descontrole parte - 2

Desvendando Cientificamente o Wolverine

Enfrentar Wolverine é uma tarefa inglória mesmo para os mais terríveis vilões. Ainda que o bandido lhe fatie a carne, o herói não morre. O ferimento mortal fecha em segundos, sem deixar cicatriz. Conversamos com a dermatologista Ana Carolina Junqueira Ferolla, do Hospital das Clínicas de São Paulo, que, naturalmente, duvidou que um ser humano, sob qualquer circunstância, possa se recuperar tão rápido. “A cicatrização leva em média catorze dias.”
É que o processo ocorre em etapas. Primeiro, as células têm que se organizar e começar a se multiplicar. Depois, os vasos precisam se espalhar pelo local do ferimento para alimentar o tecido novo com sangue. Não dá para acontecer tudo ao mesmo tempo. Uma cicatrização rápida demais deixaria marcas horríveis.
A única explicação para Wolverine é que tudo no corpo do mutante funciona muito mais rápido. Talvez sua corrente sangüínea tenha uma velocidade alucinante e suas células produzam energia sem parar para manter o supercorpo trabalhando. Para isso acontecer, no entanto, Wolverine precisaria respirar bem mais rápido que os outros seres humanos e gastaria boa parte de seu tempo comendo. Afinal, sem alimento e oxigênio, não há energia para o corpo trabalhar.
A cicatrização ultra-rápida explicaria também como foi possível seu esqueleto ter sido revestido de adamantium, um metal duríssimo. Uma cirurgia desse tipo mataria qualquer humano normal, porque é impossível separar os músculos dos ossos sem provocar dores horríveis. O adamantium, descrito na história como o material mais duro da Terra, não existe no mundo real. “Nada impede, entretanto, que alguém possa descobrir algo assim um dia”, diz o químico Atílio Vanin, da Universidade de São Paulo (USP). O material mais duro do mundo é o diamante, capaz de riscar ou cortar qualquer outra coisa. Para produzir um metal que corte diamante, seria preciso encontrar uma estrutura molecular na qual os átomos estivessem ainda mais encaixados uns nos outros. É difícil, mas não impossível.


Desvendando o Ciclope Cientificamente

Os raios de força do Ciclope destroem pedras, furam metais e alcançam distâncias de mais de 500 metros. O físico Carlos Henrique Brito Cruz, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), acha que algo tão poderoso só pode ser um raio laser. “O problema é que produzir um laser forte como esse exigiria uma máquina enorme, com mais de 10 metros de comprimento”, afirma. Quer dizer, a cabeça do mutante teria que ter o tamanho de uma casa. Brito Cruz também não encontra explicação para os óculos de quartzo rubi que o herói usa quando quer parar de emitir seu superpoder. “Se a lente absorvesse tanta energia, acabaria explodindo”, diz. “Se, por outro lado, ela refletisse o raio, o que explodiria seria o cérebro do Ciclope.”

Feliz Aniversario Danielle Silva

Pense em tudo que torna seu dia feliz, 
nas pequenas e grandes alegrias que lhe agradam tanto.
Pense em toda felicidade que o ano poe em seu caminho.
Então você saberá exatamente oque lhe desejo hoje !
Felicidades sempre!!!!! 
Feliz aniversario 
adoro você



terça-feira, 26 de junho de 2012

Mutação Genética - Anomalias

Os pesquisadores americanos estão de olho no Oriente Médio e torcendo para o conflito no Iraque terminar. Não, eles não estão interessados no petróleo, mas em portadores de mutações genéticas, em mutantes humanos que possam ajudar os cientistas a descobrir a função de mais algumas dúzias de genes. Não que essas mutações tenham ocorrido pelo uso de algum agente ou arma misteriosa, mas por um costume ainda comum na região. O Oriente Médio é uma das poucas áreas do planeta onde os casamentos consangüíneos, entre primos e parentes, ainda são comuns. São alianças combinadas entre famílias que vivem em aldeias próximas, onde todos são parentes. “O resultado é que num único hospital da região você encontra 20 ou 30 casos de uma doença que, nos Estados Unidos ou Europa, existe, quando muito, em apenas um paciente no país inteiro”, conta Richard Lifton, diretor do Departamento de Genética da Universidade de Yale, Estados Unidos.
Lifton sabe do que está falando. Durante anos andou à procura de pessoas e famílias com extremos de pressão arterial, baixa demais ou alta demais. O recorde foi de um garotinho de Boston de um mês e meio de idade com pressão de 24 por 12 – o normal para um adulto é 12 por 5. A pesquisa levou Lifton a identificar uma dúzia de genes, todos expressos nos rins, cuja função é regular o equilíbrio de sal no organismo e, portanto, a pressão arterial. “Nós não podemos, por razões éticas óbvias, criar em laboratório mutantes humanos como fazemos com moscas e camundongos, mas a natureza faz isso para nós”, diz o pesquisador. De acordo com ele, essa é uma das áreas em que a genética tradicional se une à genômica para produzir informações valiosas. “Essas doenças raras nos permitem identificar proteínas e circuitos importantes não apenas para o doente, mas para todos nós: se naquela pessoa o gene afetado produz um resultado, pode-se a partir do ‘defeito’ inferir sua função.”
A genética clássica passou décadas debruçada sobre a árvore genealógica de famílias que pareciam perseguidas por uma espécie de “maldição”, onde a mesma doença aparecia seguidas vezes, geração após geração. Foi o caso da hemofilia que castigou os descendentes da rainha Vitória, na Inglaterra, e do câncer de estômago que atingiu os Bonaparte. Isso sem falar naqueles casos imprevisíveis de más-formações que, até bem pouco tempo atrás, tinham como único destino os circos de horrores. Tudo isso começou a mudar nos anos 70, quando as técnicas de manipulação de genes em laboratório passaram a revelar em detalhes os pequenos erros de DNA capazes de provocar grandes tragédias familiares. O seqüenciamento do genoma humano facilitou ainda mais a vida dos cientistas: identificado os genes suspeitos de causar o problema, basta comparar sua seqüência com a depositada nos bancos de dados públicos, via Internet. Esse mesmo gene pode ser clonado e inserido em um camundongo, por exemplo, para confirmar que se ele é responsável pelo problema e ainda revelar a função de sua versão normal.
O potencial de pesquisa dos mutantes é tão grande que já rendeu até Prêmio Nobel. Foi estudando umadoença genética, a hipercolesterolemia familial, que Michael Brown e Joseph Goldstein ganharam o Nobel de Medicina de 1985. Nos portadores desse mal, o receptor celular que deveria remover o LDL (o colesterol “ruim“) do sangue não funciona e a gordura se acumula nas artérias, trazendo o enorme risco de enfartes ainda na adolescência ou mesmo na infância. O estudo desses casos levou Brown e Goldstein a descobrir como os receptores da membrana celular capturam e levam o LDL para dentro da célula e a desenvolver as estatinas, que estão hoje entre as drogas mais eficientes no controle do colesterol.
Mas como surgem os mutantes? Tudo acontece porque o DNA tem mecanismos fascinantes de reparo, mas eles não são infalíveis. “Uma célula humana leva em média 6 horas para duplicar todo seu genoma, de 3 bilhões de pares de bases. E ela só comete um erro a cada 10 bilhões de pares de bases, o que significa menos de um erro para cada três células duplicadas. É um sistema impressionante”, diz Stephen Bell, do Departamento de Biologia do Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT) e do Instituto Médico Howard Hughes, ambos nos Estados Unidos. Se, por um lado, esses pequenos erros podem causar doenças graves, são essas mesmas alterações que garantem a enorme diversidade da espécie humana. Algumas se tornam tão comuns que se espalham pela população. Cada gene humano tem dezenas de versões – os alelos –, todas funcionais, perfeitas e que podem até garantir vantagens. Um exemplo é o alelo com o simpático nome de variedade delta32 do gene CCR5, que faz o portador ser naturalmente imune ao vírus da aids. No geral, um ser humano é diferente do outro por causa de meros 1,4 milhão de bases de DNA, ou 0,1% do total. Isso é tudo o que diferencia você da Gisele Bündchen ou do Brad Pitt.
A DNA polimerase, a enzima que comanda a duplicação da molécula, funciona também como um revisor de texto, que procura por quinas e calombos na dupla hélice do DNA. É que, de vez em quando, em vez da adenina (A) parear com a timina (T), uma outra molécula – a guanina (G) ou a citosina (C) – se encaixa ali. Quando um desses erros é detectado, genes especializados no conserto do DNA – como o MSH2, MSH3, MLH1 e outros – entram em ação, removendo o trecho problemático e copiando-o de novo ou então substituindo a letra errada. Detalhe: ao contrário do que a gente faz quando corrige um texto, o DNA não vai “olhar” no molde para ver se o par A-G era, no original, um A-T ou C-G. Troca pelo que parecer “mais conveniente” e, algumas vezes, isso resulta numa mutação. De acordo com pesquisadores, esse processo faz com que cada um de nós nasça com cerca de 300 mutações em relação ao material genético que herdamos de nossos pais. Como 95% do genoma humano não contém genes (isto é, seqüências que codificam proteínas), a maioria dessas alterações do DNA não tem grandes conseqüências. Existem alguns, porém, que causam estragos enormes.
Pessoas que nascem com mutações nesses genes de reparo, por exemplo, convivem com sérios problemas de saúde. Alterações nos genes MSH2 e MSH3 são a causa do câncer hereditário não-poliposo do cólon, que aparece na faixa entre 20 e 30 anos, com várias reincidências. Alterações em outro gene de reparo, o XPA, causam a xeroderma pigmentosa, marcada pela extrema sensibilidade aos raios ultravioleta e alta suscetibilidade ao câncer de pele. As crianças que nascem com essa mutação não podem se expôr à luz solar e a nenhuma fonte de ultravioleta. Se saem à rua, precisam estar completamente cobertas. Grupos de pais organizam festas e acampamentos para elas, onde todas as atividades são realizadas à noite. Por isso, são conhecidos como “filhos da Lua”.
“Todos nós somos mutantes, mas alguns de nós somos mais mutantes do que os demais”, diz o biólogo holandês Armand Marie Leroi, pesquisador do Imperial College, de Londres e autor do livro Mutants (Mutantes, inédito no Brasil). O biólogo foi atrás das peças mais bizarras que o DNA pode pregar nos seres humanos. Especialista em Caenorhabditis elegans, o verme que é modelo para estudos de desenvolvimento embrionário, Leroi foi atrás justamente dos erros que ocorrem com os embriões humanos, unindo relatos históricos com o que há de mais avançado em ciência. “Ao longo da história, esses defeitos congênitos sempre foram associados a um castigo dos deuses. Na Idade Média, eram atribuídos a transgressões, como relações sexuais entre padres e freiras, relações com animais, sexo em posições tidas como indecentes ou até intervenção do demônio”, diz Leroi. Foi justamente pela observação da natureza, em pleno Iluminismo, que a ciência começou a tentar explicar por que, algumas vezes, um bebê nasce sem cérebro, sem as mãos ou com o corpo inteiramente coberto de pêlos. Entre as histórias analisadas por Leroi está a dos aleijadinhos brasileiros estudados pela Unesp – famílias de São Paulo, Minas e Bahia que sofrem de aquiropodia, desordem que impede o desenvolvimento de mãos e pés. Analisou também o caso de Harry Eastlake, cujas cartilagens se calcificaram e acabou preso dentro de um outro esqueleto, além de gigantes, anões, gêmeos siameses, mulheres com três mamilos, sendo um deles na coxa.
A galeria de mutações parece interminável e se estende por vários períodos da história – até Leonardo da Vinci chegou a retratar pessoas com deformações. Agora esse tipo de pesquisa volta ao centro das atenções com os estudos de células-tronco. “Elas podem lançar luz sobre o mistério que é o desenvolvimento dos embriões e os acidentes que podem ocorrer nesse processo”, diz Leroi. Mas até que os cientistas consigam avançar nessas pesquisas, o jeito é reconhecer a ajuda que os mutantes trouxeram à ciência e analisar os momentos em que a natureza resolveu inovar no ser humano.


segunda-feira, 18 de junho de 2012

TALENTO BRITANICO SILENCIA A TODOS

Menina com voz de diva

Traz a pessoa amada

Tô Te Seduzindo

Trair a Mulher

Suposições

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Mineiros espanhóis marcham durante protesto



Mineiros espanhóis marcham durante protesto com as lâmpadas de seus capacetes de trabalho acesas através das ruas de Leão, no norte do país, no início da noite desta terça-feira (12). Os mineiros promovem uma greve articulada com outras categorias em toda a Espanha

domingo, 10 de junho de 2012

Comunidade "Amo seu cheiro na minha pele"

Entrar Na Comunidade 
>>Clique Aqui<<
  

                                    




                                                  Está Comunidade é bem simples
Porém foi feita para aqueles que
Amam quando o cheiro da 
pessoas Amada fica grudado na pele.
Bate Aquela Saudade quando ele (a)
Vai Embora........E Derrepente
VC sente Aquele Cheiro
Aquele que vc Lembra Aguém..........
Como é Bom Sentir Esse
Cheiro.......que fica grudado na Pele...

Entrar Na Comunidade 

sábado, 9 de junho de 2012

Comunidade de Curiosidades do planeta

Trarei aqui tudo de inovador, bizarro,interessante,divertido,inusitado sem noção,vulgar,nojento...tudo junto e misturado numa panela de conhecimentos.


Para Entrar Na Comunidade 
>>Clique Aqui<<


 Canal Do Youtube   I  SGDA    Twitter Do Blog  I  Curta 

             


            


Para Entrar Na Comunidade 

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Estranhos Momentos da Infância

Crescer é um momento embaraçoso após o outro. Eis alguns momentos que tendem a se destacar do resto.
Sonhos Molhados
Quando você acorda de seu primeiro sonho molhado, você está basicamente como um daqueles soldados nos primeiros vinte minutos de Resgate do soldado Ryan, assustado e confuso e verifica para ver se a coisa que você está coberto está vindo do seu corpo. Depois de perceber que não é urina, esfregando-o entre os dedos e cheirando-o como um negociante de peles tentando se certificar de que não está recebendo uma pele falsa, e pensando por que?
Convidando uma garota para sair

A primeira vez que você tentar pedir a uma garota a sair contigo você acaba soando um pouco como um monólogo de Woody Allen. Você começa com: "Hum, tão, hum, eu queria saber se, como, você sabe, talvez você queria, como eu vou dizer, que você provavelmente está ocupado, mas, como e, em seguida, você percebi que você esta muito suado (uns tremendo) e que todo o texto que você ensaiou um dia inteiro realmente você não o usou .
As Ereções em publico
Quando você é criança, ereções, e muito, como furacões, são uma força imparável que vem com pouco ou nenhum aviso, deixando-o impotente, até que tenha o seu curso.Sua única esperança é que eles acontecem em áreas despovoadas. Mas às vezes um ligeiro vento misturado com um rápido movimento lateral,já podem causar uma grande tensão nas partes baixas causando ereções em lugares impróprios e sem aviso. 
 Chorando na frente de todos
Seja porque você caiu no parque infantil ou defecou nas calças ou foi pego roubando, todo mundo tem um momento na infância em que eles estavam lá e deixar baldes de lágrimas e ranho correr para baixo em sua face enquanto faz aquele barulho de sucção ar na frente de todos os seus amigos. E após o incidente "é longo, seus melhores amigos que não vão falar com você por pelo menos uma hora e  Ninguém vai realmente dizer a palavra dignidade "(principalmente porque eles são jovens demais para saber o que isso significa), mas daquele dia em diante você saberá que você não tem nenhuma.
Ser pego se masturbando
O terror que para o coração que dispara através de seu corpo quando sua mãe anda enquanto você está se masturbando faz com que você deixe escapar as palavras,você entra em panico e o medo não te ajuda a pensar..Se você tem uma mãe hippie, ela provavelmente vai tentar dizer-lhe que o que você está fazendo é uma função corporal completamente normal. Se você tem uma mãe nervosa, ela vai sair e fingir que nada aconteceu. (Ore por uma mãe nervosa.)

25 cadeiras feitas de materiais Bizarros

O mundo tem muito a nos oferecer, eu fiz uma pesquisa e vi 25 cadeiras / poltronas feitas com mateias bizarros e de certa forma ajudando também na reciclagem. O que tem de tosco e bizarro também tem de belo e interessante para nos, veja as imagens e comente oque acharam 
























comentarios

.